Embalagens com materiais sustentáveis e gerando menores impactos no meio ambiente já são o foco de muitas marcas por aí. Além disso, associam tecnologia para que sejam mais inteligentes, práticas e acessíveis a quem precisa. Vem com a Play Recycling entender um pouco mais sobre o assunto!

Na hora de escolher um produto para comprar, pensamos em qualidade, durabilidade, marca, design, valor e por aí vai. Mas pense um pouquinho e responda: você leva em consideração a embalagem?

Pois se você está com a gente pela preservação do planeta, atenção: vale pensar a respeito e escolher por produtos que tenham uma embalagem sustentável! E o que é isso, afinal? São as embalagens que preenchem alguns requisitos, como ser produzida a partir de algum material orgânico, biodegradável ou reciclável, demandar menos energia e recursos naturais em sua produção e, quando descartada, gerar um impacto mínimo no meio ambiente.

A embalagem de um produto deve ser desenvolvida com atenção e inteligência, pois é essa embalagem que cuidará do produto para que chegue até você em perfeito estado. As embalagens mais usadas ainda são as de plástico – infelizmente, por conta de praticidade e valor de produção – mas muitas empresas estão desenvolvendo embalagens com outras matérias-primas. Mas, antes de formar alguma opinião, vale analisarmos com cuidado as vantagens e desvantagens dessa opção.

O vidro, por exemplo, é uma embalagem sustentável. Muito usado antigamente por diversos setores da indústria, acabou perdendo um pouco de espaço por conta do custo em relação ao plástico.

Hoje essa embalagem está voltando: no mercado é fácil encontrar vidros de requeijão, molho de tomate, sucos e refrigerantes. A melhor parte? Essas embalagens não liberam substâncias tóxicas e podem ser facilmente reutilizadas! Transforme, por exemplo, uma garrafa de molho de tomate em uma garrafa de água, ou mesmo use os vidros como copo, como é o caso do requeijão, e, se quiser abusar da criatividade, os potes de vidro podem virar itens de decoração para a sua casa ou para uma festa e até vasinhos para as plantas de menor porte. Uma vantagem da embalagem de vidro, se comparada com outras embalagens sustentáveis, é que sua produção não compete com a indústria de alimentos.

Vamos deixar mais claro: algumas embalagens sustentáveis estão sendo produzidas de alimentos, como é o caso da embalagem de fibra de coco, que foi desenvolvida para embalar comidas prontas, frescas ou congeladas. Essa embalagem demanda pouco investimento, não utiliza muita matéria prima e pode ser facilmente descartada. Outro alimento utilizado é a mandioca – mais especificamente a fécula da mandioca – e ambas são recicláveis, compostáveis e biocompatíveis, porém custa o dobro de uma embalagem de isopor, fora que, se entrarem em contato com a umidade, por algum tempo, acabam se desmanchando.

Outros exemplos de materiais usados para a fabricação de embalagens sustentáveis são: o amido de milho e alguns carboidratos, oriundos da cana de açúcar, do milho ou de óleos vegetais, os quais, por biossíntese, geram polihidroxialcanoatos (PHA), também conhecido como poliéster bacteriano. Essas embalagens não geram nenhuma reação tóxica ou imunológica e são biodegradáveis.

Até o cogumelo virou embalagem! Pois é, essa embalagem é feita com raízes de cogumelo crescidas em folhas mortas e em uma grande variedade de substâncias. O material gerado pode ter várias texturas, uma grande durabilidade e também são muito flexíveis.  São biodegradáveis e também comestíveis, apesar de não ser recomendável ingerir, hein!!

O bagaço da cana-de-açúcar também é uma embalagem, e essa embalagem foi desenvolvida aqui no Brasil. Sayuri Magnabosco, jovem brasileira que aos 16 anos iniciou um projeto de pesquisa, utilizou bagaço de cana-de-açúcar para fazer um material que se decompõe em apenas um mês. Essas embalagens foram criadas para substituir embalagens de isopor e são usadas para frutas, hortaliças e bebidas. A embalagem está em processo de patenteamento, e a criadora espera que o mercado se interesse em comprar sua invenção. Legal, não é?

Para além do setor de alimentação, encontramos as embalagens de papel reciclado, que também são consideradas sustentáveis pois potencializam o tempo de vida do produto e economiza energia. E já é um material bem popular e famoso no setor de papelaria, artesanato e decoração, por exemplo.

Vale lembrar ainda sobre o Plástico verde, que é considerado sustentável, mas tem suas desvantagens (leia mais sobre COLOCAR LINK ARTIGO).  O plástico PLA (poliácido láctico) é um polímero sintético termoplástico, que vem substituindo o plástico comum de diversas formas e demora bem menos tempo para se degradar.

Independente da escolha da embalagem – de preferência sustentável – a melhor opção é pensarmos de fato em diminuir cada vez mais o uso delas. Você pode fazer isso levando sua própria sacola ou carrinho ao mercado, utilizando sacolinhas de tecido para frutas e legumes e, quando for optar por cardápios, escolha pelo QR Code – item que chama atenção também para acessibilidade de pessoas com necessidades especiais que podem ter as informações sobre o produto de outras formas. Ótimo exemplo de sustentabilidade, preservação, economia e tecnologia andando de mãos dadas, do jeito que o futuro tem que ser!